O que não escrevi

 

Lembro de ter dito o que jamais poderia

Te escrever. Não foi a você que eu disse,

Talvez meu maior erro. Talvez a única

Traição, na verdade. Ela estava lá, amiga,

Aberta. Sempre foi fácil dizer-lhe o que

Me sempre pareceu impossível confessar

A você. Não me apareceu na garganta este

Nó, sabe, talvez porque ela também não o

Tivesse. Porque ela sempre foi palavra e

Não ação. Eu confessei-lhe que não sabia;

Ainda Não… Como poderia, se também

Nunca me disseste qual o teu conhecimento

Sobre esse nosso assunto que, acabado,

Parece que existirá para todo sempre.

 


Virgínia Celeste Carvalho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s