Avesso

“Mas, se eu pedi amor, porque é que me trouxeram 
Dobrada à moda do Porto fria?”
Álvaro de Campos

Eu não pedi amor, mas me trouxeram e puseram à mesa. Eu olhei por um momento e reconheci o prato de sempre. Eu ri.

Eu, definitivamente, não pedi amor, mas você veio. E como veio. Quando eu percebi, as cadeiras já estavam com as pernas para o ar, sobre as mesas, e as garçonetes já haviam fechado o café.

Eu, que não pedi amor, só pude argumentar para mim que era um engano. Levantei-me e caminhei até a porta, abri-a. Antes de sair, ainda olhei para trás em tempo de ver uma Tecedeira arrematar o ponto.

Eu não pedi amor, mas aquele para sempre seria o único prato da casa.

Virgínia Celeste Carvalho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s